Quando o atleta se esforça demasiado
Psicologia do Desporto 22/09/2016

Quando o atleta se esforça demasiado

Miguel Lucas Publicado por Miguel Lucas

Alguma vez já lhe aconteceu querer muito alcançar algo e quanto mais se esforçava mais se afastava do seu objetivo? Isto é experienciado pelos atletas, que ao quererem muito alcançar um objetivo exigente se auto-consomem não conseguindo pensar em mais nada. Este é o ponto central da questão, o esforço em demasia durante a competição retira capacidade e energia ao invés de dirigir todo o foco para a competição. Não me estou a referir ao fato do atleta se desmobilizar da competição, pelo contrário, terá tanto mais sucesso quando mais se permitir executar aquilo para o qual está preparado, e não tentar de forma exagerada alcançar algo onde supostamente irá ser necessário um esforço acima das suas capacidades.

É sobejamente importante traçar um objetivo intencional, exigente e desafiador, tal como obter uma determinada classificação, pontuação ou tempo, mas estes pensamentos deverão ocorrer antes da competição e nunca durante a mesma.

Saber orientar o foco atencional

Na grande maioria das vezes quando o atleta se foca demasiado naquilo que quer alcançar (objetivo final), afasta-se do seu objetivo de performance que é dirigir toda a sua atenção para o processo que irá permitir alcançar o resultado desejado. Se o atleta se concentra no processo (objetivo de performance), irá mobilizar a sua energia para os mecanismos internos necessários às execuções motoras imprescindíveis para desempenhar a tarefa competitiva.

No caso do atleta se concentrar em demasia no resultado final e com isso dar inicio a um esforço exagerado, como se soubesse de forma antecipada que não irá conseguir o resultado pretendido, e como tal tem de fazer mais qualquer coisa do que aquilo que supostamente seria capaz. Este tipo de pensamento para além de retirar a confiança em si próprio, não permite o atleta acionar aquilo que está habituado a fazer no treino, que é executar de forma eficaz um conjunto de ações motoras que lhe permitem alcançar o que é realmente capaz de fazer.

demasiado esforço no treino

Acreditar no corpo

O segredo é realmente o atleta relaxar-se, e permitir que corpo e mente façam aquilo para o qual estão treinados, acreditando que isso é suficiente para ser bem sucedido. Não esquecendo que para tal o atleta tem de previamente colocar-se no seu melhor estado de recursos e assim alcançar a sua Zona de Ótimo Funcionamento Competitivo.

Querer melhorar um resultado pessoal, ou querer obter uma melhor qualificação, são objetivos (objetivo final) que motivam o atleta para o treino, para a dedicação e esforço necessários à melhoria das capacidades físicas e mentais. Durante a competição estar a pensar em bater um recorde, não ajuda à sua obtenção, pelo contrário só serve como consumidor de energia. Tomado por exemplo a modalidade de natação, aquilo que é necessário o atleta focar-se é em nadar rápido, no ritmo da braçada, na respiração, no fundo concentra-se na sua prova (objetivo de performance).

Rotinas pré-competitivas

Para que no dia da competição o atleta não seja assombrado por pensamentos demasiado focados nas expectativas de resultado, seja por objetivos pessoais ou objetivos externos, como a pressão do clube, dos pais ou dos media, é necessário treinar e implementar rotinas pré-competitivas, aquilo que na aplicação dos meus Programas de Treino Mental para Atletas apelido de “Carregar o Modo Competitivo”.

Carregar o Modo Competitivo de certa forma é treinar o atleta a focar-se nos objetivos de processo, estes objetivos são no fundo todas as estratégias que são necessárias activar (relembrar e pensar) para que o atleta faça em competição, sem interferências ou barreiras, aquilo para o qual treinou e se capacitou durante o treino – o seu resultado previamente treinado.

No dia da competição este resultado previamente treinado, pode ser sabotado por um inúmero conjunto de fatores, que na grande maioria das vezes é o próprio atleta.

Para que o atleta não se transforme num sabotador do seu próprio resultado desejado, deverá então em competição:

  • Evitar esforçar-se demasiado
  • Focar-se nos objetivos de processo
  • Acionar as rotinas pré-competitivas (Carregar o Modo Competitivo)
  • Colocar-se na sua Zona de Óptimo Funcionamento Competitivo
  • Focar-se na competição

“Tens de pensar nas grandes coisas enquanto vais fazendo pequenas coisas, para que todas as pequenas coisas caminhem na direcção certa” – Alvin Toffler

Se tens vindo a sentir que o nervosismo excessivo prejudica a tua performance e pretendes melhorar, aqui mesmo no site poderás ter acesso a sessões de psicologia desportiva comigo.

Clica no link em baixo e fica a saber tudo:

=>>Informações sobre as Sessões de Psicologia Desportiva <<=

Bons treinos.

Abraço,

Miguel Lucas

Novo usuário?
Comece aqui
Receba Grátis os Vídeos “Fórmula da Positividade”
Receba Grátis os Vídeos “Fórmula da Positividade”

Dê a si mesmo a oportunidade de florescer e ser bem sucedido!

Comentários
Avatar for Miguel Lucas
Luciano Larrossa

Miguel,

Muito bom artigo. Curto e directo à questão. Muitas vezes, tanto no desporto como em outros assuntos da vida, pensamos muitas vezes no que queremos atingir, e muito bem. Contudo, as vezes esquecemos do caminho que temos que percorrer e do processo para atingir esse objectivo.

Abraço

Avatar for Miguel Lucas
Miguel Lucas

Olá Luciano, obrigado pelo comentário.

Sim, é importante o atleta no dia”D” focar-se naquilo para o qual treinou durante tanto tempo – a competiçao.

Foquemo-nos entao nos objectivos e : just do it

Abraço

Avatar for Miguel Lucas
Mozart Coelho

Olá, Miguel Lucas. Em primeiro lugar parabéns pelo site e pelo artigo. Eu mesmo jogo xadrez aqui em minha cidade, onde organizamos uma série de torneios. Realmente o fator psicológico é importantíssimo para qualquer esportista, até mesmo_ou sobretudo_para o jogador de xadrez. Há muito tempo que sempre ficava no “quase” nas competições, sempre deixando o título escapar na última rodada. Era o primeiro durante toda a competição e no final cometia um erro grotesco, culpa da ansiedade… Tinha domínio técnico mas estava mal preparado mentalmente! Depois que consegui trabalhar isso deslanchei,venci torneios e tenho me mantido na liderança do ranking da cidade.
Achei muito interessante seu post e peço autorização para colocar o primeiro parágrafo do seu artigo em meu blog de xadrez, com o link para o pessoal ler o post completo em seu site. Essa é uma questão importante também para os enxadristas, sobretudo os que disputam competições.

Desde já obrigado!
http://www.clubexadrezvida.blogspot.com

Avatar for Miguel Lucas
Miguel Lucas

Olá Mozart Coelho, muito obrigado pelo comentário e bem-vindo à Escola Psicologia.
Está autorizado a colocar a frase e respectivo link no seu site.

Fico contente por ter valorizado o conteúdo do post, e confirmar com a sua experiência a importância do controlo emocional e do foco atencional nos processos para o bom desempenho. Pelo que li, você conseguiu vencer essa batalha.

Força e continuação de boas performances nas suas competições de xadrez.

Abraço

Avatar for Miguel Lucas
Mozart Coelho

Oi, só passando para agradecer a gentileza por ceder seu texto para postagem em meu blog. Muito obrigado!

Avatar for Miguel Lucas
Miguel Lucas

Olá Mozart, retribuo o agradecimento.
É sempre um orgulho quando aquilo que se escreve se confirma como tendo valor para a comunidade.
Abraço

Avatar for Miguel Lucas
???????????? ?????

???? ?? ???????????? ????????? ????? ? ??????? ??????? ?????, ?? ?? ?????? ??????? ?????? ? ?? ?????. ?? ???????? ????? ?????? ????????????.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *