Máximo rendimento esportivo: entre o desafio e a ameaça
Psicologia do Desporto 22/09/2016

Máximo rendimento esportivo: entre o desafio e a ameaça

Miguel Lucas Publicado por Miguel Lucas


No trabalho de preparação psicológica que tenho vindo a realizar com atletas de diferentes modalidades, tenho observado que existe um ponto de vista que é diferenciador no que respeita aos atletas serem capazes de realizarem um ótima performance, ou pelo contrário, fracassarem devido ao peso das expectativas e condições difíceis no dia da competição. Para gerenciar adequadamente os momentos críticos em competição importa que o atleta mantenha sempre uma atitude positiva.  O ponto de vista a que me refiro resume-se à forma como os atletas “olham” a competição:  Como uma ameaça ou como um desafio?

Quando a ameaça se mascara de fracasso

O que aconteceria se você fosse ameaçado por alguma coisa (por exemplo, um leão, ou por alguém num beco de uma rua escura)? Talvez verificasse rapidamente as suas hipóteses de fuga? Acredito, que quisesse fugir da ameaça tão rápido quanto pudesse. Fisiologicamente, os seus músculos iriam contrair-se, você prenderia a respiração, e inclinava-se para trás, e o seu centro de gravidade elevava-se. Psicologicamente, a sua motivação estaria a fornecer-lhe energia para fugir da ameaça.

A sua confiança poderia diminuir porque não se sentiria capaz de enfrentar a situação (essa é uma das razões porque se sentiria ameaçado). Nesse momento você estaria focado apenas em proteger-se da ameaça. E, naturalmente, você sentiria medo, impotência e desespero (porque estaria a correr risco de vida). Em suma, fisicamente e mentalmente tudo estaria contra você, o que tornaria praticamente impossível conseguir superar a ameaça.

Mas para um atleta, que aparência tem a ameaça? A ameaça tem a aparência de fracasso. No esporte, o leão ou a pessoa ameaçadora no beco à noite transforma-se no medo de fracassar. A ameaça é o que vai acontecer se você falhar. Obviamente você não vai morrer fisicamente. Mas a um nível mais profundo, sente-se como se uma parte de você fosse morrer, usualmente a sua autoestima e autorrealização.

A ameaça surge quando você acredita que haverá sérias consequências por não alcançar os seus objetivos, por exemplo, você vai ficar envergonhado, ou julgar que a família e amigos pensam que a sua dedicação tem sido uma perda de tempo, ou fica arrasado porque não conseguiu cumprir os seus sonhos esportivos, ou vir a constatar que não é tão bom como julgava ser. A ironia é que, agindo em reação a esse tipo de ameaças construídas por causa dessas preocupações, realmente promove aquilo que é mais ameaçador para você, ou seja, o fracasso.

usain

Focado no desafio

A organização do comportamento esportivo tendo por base o desafio produz um conjunto de respostas positivas e construtivas. Quando desafiado por algo, o atleta tende a encarar a competição com expectativas positivas, querendo conquistar aquilo a que se propõe, com todos os seus recursos. Fisiologicamente, você iria sentir-se mobilizado, mas também descontraído, com a quantidade certa de adrenalina para sentir-se energicamente carregado, rápido e forte. Os músculos ficariam soltos, e as respirações constantes, sentir-se-ia leve e assente nas pontas dos pés.

Psicologicamente, a sua motivação estaria orientada para o desafio e acreditando na superação. Você ficaria confiante na sua capacidade de superar a situação difícil e/ou exigente. O seu foco seria como um feixe de laser sobre o desafio, ficando sempre bem na sua frente. Emocionalmente você estaria entusiasmo, inspirado, orgulhoso e com coragem. Em suma, todo o seu ser, tanto ao nível físico como psicológico estaria direcionado para triunfar de acordo com o desafio proposto, e as suas chances de sucesso seriam elevadas.

A descrição anterior resume o estado ótimo de performance (máximo rendimento esportivo) alcançado pelo atleta. Este estado pode ser treinado através da preparação psicológica, de forma a que no dia da competição possa surgir naturalmente e sem esforço acrescido. No processo de aprendizagem ou aperfeiçoamento das estratégias psicológicas, é desenvolvido a abordagem de olhar a competição como um desafio e não como uma ameaça. É promovida a crença de que o local e momento da competição é algo há muito desejado pelo atleta, e de acordo com esta premissa, o atleta a associa imagens, emoções e atitudes que promovem o sentimento de superação e desafio.


Na prática, como se operacionaliza o foco no desafio?

Pode parecer um cliché, mas começa em saber orientar o foco para alcançar o sucesso, em vez de evitar o fracasso. Com a mente no desafio, não há medo do fracasso, mas sim um profundo desejo de perseguir os seus objetivos esportivos com vigor, confiança e sem hesitação. O desafio está associado à apreciação do processo de treino e atitude competitiva especifica  do seu esporte, independentemente de você obter sucesso ou fracassar. A ênfase é sobre o envolvimento com a competição, de tal forma que seja identificado como um momento de êxtase, enorme satisfação e oportunidade de realização do seu potencial.

O esporte de competição, quando visto como um desafio, é uma experiência enriquecedora, em que todos os momentos competitivos são vistos como oportunidades de expressar o prazer de praticar a sua modalidade. Olhar a competição como um desafio é altamente motivador, até ao ponto em que você pode desenvolver o gosto de experimentar situações de pressão. Quando você desenvolve uma reação positiva ao desafio competitivo, coloca-se no seu melhor estado de recursos para executar o seu máximo rendimento, e ter sucesso, porque tudo o que afeta a realização da performance está dependente de si mesmo.

Desafio vs ameaça

Aquilo que é mais estranho e ao mesmo tempo capacitador, é que depende tudo da sua mente. Raramente é sobre a realidade de uma situação, mas sim em como o atleta percepciona isso. Pense nisso desta maneira. Se você fosse um esquiador, certamente as temperaturas de 20 graus abaixo de zero não seriam exclusivas para você. A inclinação das rampas também não seriam apenas para você. Se estivesse a nevar, a neve não iria afetar negativamente apenas a sua corrida.

O que importa reter neste exemplo, é que em competição, todos os atleta têm mais ou menos as mesmas condições. Então, o que determina se você olha para essas condições como uma ameaça ou como um desafio, resume-se à forma como olha para essas condições.

Vejamos um exemplo por comparação entre dois atletas diferentes. Um atleta A e B, são de igual capacidade e igualmente bem preparados para uma próxima competição. À chegada ao evento, eles encontram condições climáticas muito ruins. O atleta A vê as condições e pensa “Isto é horrível. Eu odeio essas condições. Como é que eu vou ter um bom desempenho hoje?” Em contraste, o atleta B pensa: “Estas são condições difíceis, mas eu tenho treinado sob essas condições e todos estão nas mesmas circunstâncias.” Claramente, o atleta A vê a corrida como uma ameaça, enquanto o atleta B vê isso como um desafio. Quem você acha que vai ter uma corrida melhor? O atleta B, obviamente.

Então, da próxima vez que você se deparar com uma situação de concorrência muito difícil, mau tempo, uma multidão hostil, um piso em mau estado, ou a maior competição da sua vida, pergunte a si mesmo se olha para isso como uma ameaça ou como um desafio. Em seguida, abrace o desafio e diga para si mesmo, “vamos a isso!”

Abraço,

Miguel Lucas

Novo usuário?
Comece aqui
Baixe Grátis o e-book “Seja Um Vencedor”
Baixe Grátis o e-book “Seja Um Vencedor”

Preencha os seus dados abaixo e receba esse e outros materiais por e-mail.

Comentários
Avatar for Miguel Lucas
Julio Cesar

Muito bom o post,
cada vez aprendo mais!

Avatar for Miguel Lucas
Roberto do Recife-PE

Excelente! Cada vez aprendo mais. Parabéns Prof. Miguel

Avatar for Miguel Lucas
Daniel

Olá Miguel, li alguns posts seus aqui do site e você é uma pessoa incrível pois dá dicas muito valiosas e uteis..

Eu tenho uma pergunta, não tem nada a ver com esse post, me desculpe por fazer a pergunta aqui:
Eu estou com agorafobia faz 5 meses, e nesse tempo só sai de casa acompanhado de carro com parentes, só sai 8 vezes nesses 5 meses e foi acompanhado, eu só consigo sair no maximo uns 150 metros de casa sozinho de apé, na mesma rua.. e em breve vou começar a fazer terapia cognitiva comportamental e provavelmente tomar algum remédio, e minha pergunta é essa: É possivel superar por completo a agorafobia? é possível eu conseguir vencer a agorafobia e sair para todos lugares que eu queria sozinho e até mesmo cursar uma faculdade??

Agradeço desde já pela sua resposta, um abraço !

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *