Encare a vida com otimismo: Descubra a sua chave mestra
Motivação 22/09/2016

Encare a vida com otimismo: Descubra a sua chave mestra

Miguel Lucas Publicado por Miguel Lucas

Provavelmente todos nós na nossa vida já tivemos a sensação de que a “sorte” não nos bateu à porta, ou que no dia em que nascemos, Deus estava doente. Todos já nos sentimos, nem que por breves instantes, presos nas malhas do pessimismo e sem um sentimento de propósito na vida. Sentimo-nos em determinadas alturas da vida à deriva e muitos de nós durante largos períodos. Eu já vivi alguns destes sentimentos, num determinado período da minha vida. Mesmo com formação em psicologia e independentemente de ter estudado os mecanismos da mente e da sua influência nos nossos estados de humor, motivação, energia, competência, atitudes face à vida, surpreendentemente foi em dois livros de leitura complementar que encontrei o clique que me fez olhar para as coisas com uma outra perspectiva.

Falo especificamente do livro: O poder sem limites, do autor Antony Robbins, e do livro: Consciência, do autor Osho. Estes são livros de auto-ajuda, mas inserem-se numa categoria de desenvolvimento pessoal. Posso dizer que estas leituras mudaram a minha vida para melhor, pois fizeram-me perceber em termos teóricos, aquilo que eu já tinha aplicado na prática. Aumentaram a minha capacidade de gerir e alavancar a minha motivação e otimismo sempre que me deparo com um objetivo, desafio ou problema que quero ver resolvido.

Comecei  a perceber melhor os mecanismos que acionamos para aumentar a motivação e isso fez com que eu conseguisse, ensinar e ajudar outros a fazerem o mesmo. Aquilo que eu me apercebi, foi que tinha entendido a melhor forma de me auto-motivar e como manter isso durante períodos longos.

chave mestra

O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA

Mas porque razão é que este despertar da consciência aconteceu?

Aconteceu porque eu descobri a minha chave mestra, descobri aquilo que já há muito tempo procurava através do estudo, percebi aquilo que já fazia na prática mas não tinha consciência do seu processo. Percebi que o nosso maior poder está na forma como comunicamos connosco, está na forma como estabelecemos uma relação com o nosso eu, está na atitude que temos connosco.

A forma como cada um de nós estabelece o diálogo consigo mesmo tem um poder enorme na maneira como depois encaramos a vida. Depois deste despertar acerca dos mecanismos da mente, e de como é que eu funcionava e como conseguia mudar, integrar e manipular os meus próprios pensamentos de forma a que me servissem, entrei num processo de reconstrução de crenças acerca do meu destino e da influência que os meus pensamentos (agora mais conscientes e deliberados) tinham no meu sucesso ou nas minhas derrotas, no meu bem-estar ou na minha tristeza.

TEMOS SEMPRE A POSSIBILIDADE DE CRIAR UM PLANO “B”

Inevitavelmente a vida encarrega-se de nos fazer perceber que existem inúmeras coisas que nos escapam, que nos ultrapassam e consequentemente que estão fora do nosso controlo. Eu não controlo uma tempestade ou um furacão, mas sou responsável na forma como reajo a essa catástrofe. O que quero dizer é que na construção da resposta, na construção da solução, existe um sem número de possibilidades, essas possibilidades serão ou não materializadas na nossa decisão. Aquilo que decidimos fazer entre o estímulo e a resposta reside a nossa liberdade de escolha, reside a nossa opção.

Se aquilo que queríamos que acontecesse não se efetivou, existe sempre a possibilidade de construir e accionar um plano “B”. É este plano que depende de nós, da forma como olhamos o mundo e encaramos a vida. A percepção que cada um de nós tem acerca das coisas e de si mesmo, sofre influência da nossa chave mestra. Sofre influências dos nossos mecanismos de raciocínio, que podem abrir-se ou não à construção de possibilidades e depois fazermos uma escolha.

A chave mestra, está grandemente relacionada com o artigo que escrevi sobre a flexibilidade de pensamento. Esta estrutura mental positiva que nos permite flexibilizar o pensamento abre-nos muitas portas na nossa vida.

Grande parte dos artigos que escrevo, reforçam a noção de que em todos nós existem recursos para enfrentarmos a vida nas suas formas mais caprichosas. Inequivocamente a estrutura responsável é o nosso cérebro, o centro de operações capaz de sofrer alterações e adaptar-se às circunstâncias num processo que chamamos de pensamento, pensamento este que por sua vez é alvo de  modificações através da nossa consciência.

O conhecimento que temos acerca da forma como podemos influenciarmo-nos, é a esperança e a primeira e última linha de operações em que nos podemos suportar para avançarmos sempre com a noção que o grau de controlo que exercemos na vida está fortemente relacionado com a noção que temos de influenciarmos as nossas decisões.

Para não ser repetitivo, deixo-vos uma seleção de oito artigos já escritos, os quais pode consultar no sentido de promover a descoberta da sua chave mestra. Boas leituras!

Dica: A chave mestra emerge do conhecimento que possa adquirir na procura de perceber o quão flexível e criativa é a sua mente, e que a mente sofre influência directa de si próprio.

Boa descoberta.

Abraço,

miguel Lucas

Novo usuário?
Comece aqui
Obtenha Grátis o Programa “Diga Não À Depressão”
Obtenha Grátis o Programa “Diga Não À Depressão”

Receba os vídeos gratuitamente no seu email e aprenda como superar a depressão.

Comentários
Avatar for Miguel Lucas
Ana Karenina

oi Miguel

Um outro livro que fala sobre levar a vida com otimismo é: “The secret ou o segredo de Rhonda Byrne”, ainda estou lendo mais nele se diz que nossos uma antena, se sintonizamos em pensamentos ruins, coisas ruins nos acontecem, não podemos pensar que não vamos conseguir algo ou que não queremos algo porque o poder da atração nos leva a atrair justamente o que não queremos.

Confesso que não é fácil levar a vida com positividade quando problemas acontecem, mas tenho tentado seguir em frente e percebi que tentar e pensar que pode dar certo acabou dando mais certo do que não ter feito nada contando que seria impossivel, isso acaba me estimulando bastante a buscar mais coisas.

Quero agradecer pelos seus bons textos que são ótimo e que sempre me fazem aprender e encarar a vida de outra forma, meu último texto eu me inspirei em um dos seus artigos: http://www.escritosideologicos.com/2011/09/satisfacao-no-trabalho-mudar-para-ser.html

Acho que mais importante que ter otimismo na vida é acreditar que você pode e ir a luta, porque é esse o único meio de saber que as coisas podem dar certo, tenho acreditado nisso e tem dado certo até agora.

Um abraço

@anakint

Avatar for Miguel Lucas
Miguel Lucas

Olá Ana, obrigado pelo comentário

Agradeço imenso as suas palavras 🙂

Conheço o livro o “Segredo” já o li a alguns anos atrás. O livro sai um pouco do âmbito da psicologia, apesar de falar em otimismo e descrever algumas técnicas de visualização. No entanto é pobre na explicação de como promover as atitudes, mudar comportamentos, reestruturar o pensamento, entre outras.

Na minha perspetiva, nós não atraímos as coisas, mas sim vamos ao encontro delas, promovemos caminhos, formas de raciocinar de agir e de sentir. Por tudo isto, apesar do livro mostrar alguns pensamentos positivos e otimistas, é redutor. No entanto, pode funcionar para algumas pessoas, como tudo na vida não é?

Claro, estou de acordo com você, pensar sempre no caminho da solução, aumenta a probabilidade de podermos vir a ser bem sucedidos, por isso pensar de forma positiva, é uma estratégia ganhadora.

Sim, você resumiu bem: ir à luta, fazer coisas, falhar, tentar de novo, cair, levantar e continuar a caminhar….

Força para você, e ação, muita ação e persistência

Abraço

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *