Como lidar com pensamentos negativos e sensações incómodas em competição - Miguel Lucas
Psicologia do Desporto 22/09/2016

Como lidar com pensamentos negativos e sensações incómodas em competição

Miguel Lucas Publicado por Miguel Lucas

Durante os preparativos para uma competição importante, o corpo começa a preparar-se para as exigências da situação, libertando hormonas na corrente sanguínea, como adrenalina e o cortisol, desencadeando as mudanças fisiológicas associadas ao aumento da excitação (por vezes referido como uma resposta de “luta ou fuga “). Além disso, ocorrem alterações no sistema da atenção, os atletas tornam-se mais focados e alerta, ficando com as suas mentes cada vez mais ativas.

Este aumento global de excitação pode ser o seu melhor amigo ou o seu pior inimigo, e a chave para alcançar um adequado estado mental é analisar as mudanças de forma racional e canalizar as suas emoções numa direção positiva (orientada para a execução da performance).

Excitação fisiológica: uma questão de interpretação

Muitos atletas de elite associam o aumento da excitação fisiológica com entusiasmo, fazem um leitura positiva, interpretando o que sentem no seu corpo como uma preparação para a competição, e usam essas sensações como uma sugestão para uma estratégia a implementar nas rotinas pré-competitivas planejadas. Essa interpretação positiva da resposta de excitação, geralmente leva a mais emoções positivas e perspectivas otimistas.

Por outro lado, alguns atletas interpretam as mudanças fisiológicas, como o aumento da frequência cardíaca como sendo ansiedade, preocupação e apreensão, tendo um impacto negativo sobre as emoções, verificando-se não serem propícias para um bom desempenho.

A coisa mais importante a lembrar é que a sua interpretação das alterações fisiológicas direciona a sua resposta emocional. No entanto, a relação entre pensamentos e emoções funciona nos dois sentidos: apesar de as emoções serem o resultado de avaliações por parte do atleta, elas também podem causar impacto nos seus pensamentos, acionando um círculo vicioso de pensamentos depreciativos e emoções negativas.

A boa notícia para os atletas que experimentam emoções negativas e incapacitantes antes da competição é que podem ganhar mais controle, alterando o seu foco de atenção. A próxima vez que sentires que estas alterações indesejadas ocorrerem, tenta implementar a seguinte rotina psicológica:

Diz a ti mesmo “este é o meu corpo a preparar-se para executar bem”, e repetir a afirmação, quando necessário. Tenta lembrar uma imagem de ti mesmo, a ganhar ou a ter um bom desempenho, e “grava” os sentimentos que experimentaste no momento.

Interpretação positiva das sensações físicas incómodas

Em qualquer tipo de performance atlética, é inevitável que o atleta enfrente desconforto físico ou emocional. Mas é a sua percepção e reação a tudo isso que determinará quanto poder terá sobre o seu desempenho. Quando estamos em um quadro emocional positivo, ficamos mais predispostos a ter um melhor desempenho, mesmo perante a dor, incómodo ou dificuldade.

Tolerar e superar esse desconforto saudável não é apenas o caminho para se tornar mais apto e mais rápido, também ajuda a entender os seus limites físicos com mais precisão, de modo que venha a doer um pouco menos na próxima vez.

Se és atleta faz o seguinte: quando a fadiga ou a dor começarem a invadir o teu corpo, pensa nessa nova sensação como apenas incómodo físico, e não necessariamente como algo ruim ou que não aguentas. Ao invés de pensares como sendo algo intolerável, pensa como se fosse uma fonte de força e energia. Sente o vigor percorrendo a tua corrente sanguínea, e envia a sensação para a parte do corpo que mais precisas.

Por exemplo: Se és corredor, concentra-te em um fluxo de força movendo-se através dos músculos, energizando as tuas pernas para os quilómetros que faltam. Se praticas exercícios para desenvolvimento da força de braços, podes canalizar a tua energia para os ombros e braços para mais uma repetição de supino.

O que posso fazer para gerenciar as dúvidas e pensamentos negativos em competição?

Com as sensações de nervosismos sentido no corpo podem surgir dúvidas, medos, falta de confiança e até alienação total da competição. Por isso, o primeiro passo a ser dado é não associar um quadro negativo às sensações negativas sentidas no corpo. Na verdade o aumento da excitação fisiológica, que muitos atletas interpretam como “nervosismo” pode ser interpretado como “mobilização positiva”. Por outras palavras, quer dizer que o corpo está a libertar grandes quantidades de energia (que se sente no corpo na forma de sensações físicas) para entrar em ação.

O segundo passo é lidar construtivamente com os pensamentos negativos que possam ter surgido da interpretação negativa das sensações corporais. Os passos são mais fáceis de dizer do que que fazer, então vais necessitar de muita paciência e prática para dominar os teus pensamentos negativos e dúvidas. Faz o seguinte:

1. Quando as “vozes” negativas se fizerem ouvir, reconhece que elas são normais e não afetarão o teu desempenho, a menos que lhes dês esse poder.

2. Mantém a calma e aceita que em ambiente de competição e sobre pressão a probabilidade da negatividade te bater à porta aumenta.

3.  Nas rotinas pré-competitivas reorienta imediatamente a tua concentração no que tens de fazer, e não nos pensamentos de negatividade ou dúvida que te passam na cabeça. Ou seja, coloca a tua concentração de volta ao que estás fazendo, nas tuas rotinas pré-jogo / pré-performance. Normalmente isso envolve focares-te na sensação do que estás fazendo ou manter o foco no que está diretamente na tua frente.

Exemplo: se sou um nadador, e estou atrás dos blocos, eu iria concentrar-me na sensação do meu alongamento e na minha respiração. Se eu for um jogador de basquetebol, mudaria a minha concentração para o que estou fazendo no aquecimento. Se eu fosse jogador de golfe, eu iria concentrar-me no meu ritual de pré-tacada, e na sensação disso, praticando um balanço de cada vez.

4. Durante o desempenho / performance. Nadadores: voltar a focar na sensação de alongamento da braçada, uma braçada de cada vez. Jogadores de futebol: reencaminhar o foco no campo à sua frente e na bola, ou correr e movimentar-se sem a bola. Jogadores de golfe: foco na sensação de “mãos suaves” ou um balanço suave.

5. Toda vez que o pensamento negativo aparecer, fica calmo e imediatamente trás a tua concentração de volta à sensação do que estás fazendo, quantas vezes for necessário.

6.  Voltar ao passo 1. A negatividade por vezes acorre, mas com prática irás treinar-te para mudares automaticamente (sem sabotagem) para o canal mental apropriado ao que estás a realizar.

Preparação psicológica para a competição

Tenho vindo a trabalhar com muitos atletas na área da psicologia desportiva, na implementação de programas de preparação mental a atletas e equipas para promoção do máximo rendimento desportivo, numa perspectiva de melhoria das suas habilidade e capacidades, sem que necessariamente exista algum problema psicológico.

Mas, tenho vindo igualmente a trabalhar com atletas que sofrem de problemas emocionais relacionados com a sua vida em geral ou com problemas relacionados com a competição. Por estes motivos, acredito que a psicologia desportiva é uma mais valia para atletas e treinadores, especialmente para aqueles que estão motivados para melhorar o seu desempenho.

Se necessitas de algum tipo de ajuda ou achas que poderias beneficiar de um programa de preparação mental para melhoria da tua performance, clica no link em baixo:

=> Sessões de Psicologia Desportiva <=

Abraço,

Miguel Lucas

Novo usuário?
Comece aqui
Obtenha Grátis o Programa “Diga Não À Depressão”
Obtenha Grátis o Programa “Diga Não À Depressão”

Receba os vídeos gratuitamente no seu email e aprenda como superar a depressão.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *