A vantagem de aceitar as emoções negativas
Saúde e Bem-Estar 22/09/2016

A vantagem de aceitar as emoções negativas

Miguel Lucas Publicado por Miguel Lucas


Enquanto seres humanos orientamos as nossas ações em direção a um resultado que nos recompense com bons sentimentos. O nosso cérebro recompensa-nos com emoções positivas quando fazemos algo que beneficie a nossa sobrevivência. E, ficarmos satisfeitos, contentes e felizes são tudo sentimentos que estiveram na base de comportamentos e atitudes que promovem o nosso bem estar. O nosso bem estar é motivado pelo impulso inato que temos para sobrevivermos. O nosso cérebro motiva o nosso corpo para se direcionar para “coisas” que façam disparar emoções positivas, e evite “coisas” que façam dispar emoções negativas. A nossa vida desenrola-se entre a experiência de emoções negativas e emoções positivas. Na vida inevitavelmente iremos sentir stress, dor e insatisfação. O stress e dor muitas vezes manifestam-se em emoções, como tristeza, raiva, medo, vergonha e culpa, entre outras. Quando essas emoções surgem, o nosso cérebro envia sinas que fazem disparar uma resposta de stress no corpo, que por sua vez é lida pela nossa mente que nos faz elaborar um pensamento verbal: “Caramba, como é que vou corrigir isto” ou “Isto não pode voltar a acontecer” ou “Não suporto esta situação” obrigando-nos a direcionar a atenção para o passado para prever o futuro.

AS EMOÇÕES NEGATIVAS FAZEM-NOS SENTIR MAL PORQUE FUNCIONAM A NOSSO FAVOR

As emoções negativas na sua essência não são más. As emoções negativas evoluíram ao longo dos tempos como uma maneira de sentirmos um incómodo no corpo que nos alerta acerca dos riscos que corremos, ou de coisas que estão a acontecer que nos prejudicam e/ou nos causam dor física e/ou emocional. Esta ideia pode parecer ultrajante. Como é que algo que nos faz sentir mal pode ser boa?

O cérebro humano é especialista em evitar maus sentimentos. Nós evitamos a fome e frio plantando alimentos e armazenado combustível. Mas as emoções negativas permanecem, independentemente do quão bem satisfazemos as nossas necessidades. Assim que você esteja alimentado e quente, o seu cérebro irá monitorizar outras coisas que possam prejudicá-lo. A sua sobrevivência será sempre ameaçada enquanto for vivo, e o seu cérebro nunca pára de procurar por ameaças à sua qualidade de vida (sobrevivência). É exatamente a monitorização inata para a qual estamos mentalmente preparados que pode prejudicar-nos. E, prejudicamo-nos sempre que não conseguimos fazer uma boa leitura acerca da informação que as nossas emoções negativas nos transmitem.

A saber: Para que possamos tirar vantagem do nosso programa de defesa ancestral, que se edificou em torno do fabuloso mecanismo de disparo de emoções negativas que nos obrigam a focar a nossa atenção na possível ameaça à nossa sobrevivência, é necessário aprender a aceitá-las e a regulá-as.

emoções

REGULAR AS EMOÇÕES AO INVÉS DE CONTROLAR

Admito que seja difícil encarar a realidade de que as emoções independentemente do quão dolorosas e poderosas sejam, como a raiva, tristeza, desespero, desamparo, ou solidão, não são inerentemente más, terríveis, perigosas ou erradas. Certamente, elas podem ser desconfortáveis, poderosas, e por vezes bastante inconvenientes. Mas, na verdade, é o nosso medo condicionado e vergonha que nos ensinam que estas emoções são perigosas e de todas as maneiras “más” e que, portanto, elas necessitam de estar sobre controle. No entanto, são as nossas tentativas de aprender a controlar as nossas emoções “negativas” que produzem problemas muito mais profundos e mais insidiosos. Nós gastamos muito do nosso tempo e energia fugindo de sentimentos e experiências dolorosas.

Por esta razão, não devemos querer controlar as emoções, no sentido de evitarmos ter e sentir um conjunto de estímulos desagradáveis para os quais estamos geneticamente preparados para ter. O que devemos sim, é aprender a regular as emoções, tal como expliquei no artigo: Autoregulação, para sentir-se melhor foque-se no mais importante. E, para poderemos regular as emoções é importante que primeiro as aceitemos. É primordial que tenhamos a noção que não conseguimos não sentir as sensações desagradáveis no nosso corpo na forma de sentimentos negativos. Aliás, isso seria catastrófico. Partindo deste princípio, podemos considerar que para cada um de nós será vantajoso compreender e aceitar as emoções negativas, tal como expliquei no artigo: A verdadeira força está em compreender e aceitar a dor emocional.

EXERCÍCIO PRÁTICO

O exercício que se segue é de simples execução. É composto por quatro elementos chave que permitem aprender a “surfar” as suas emoções negativas de forma a que obtenha vantagem emocional:

1) Concentre-se e mantenha na sua mente uma imagem, memória, pensamento ou sentimento doloroso.


2) Descreva para si mesmo, tão especificamente quanto possível o sentimento (s) que surgir.

3) Tome nota e foque a sua atenção na parte do seu corpo onde emanam os sentimentos que está a sentir.

4) Preste atenção à forma como as emoções, imagens e sensações físicas mudam e se movem, mantendo o seu foco na alteração das sensações.

Esta técnica, permite que mergulhe toda a sua atenção nas suas emoções. Faça este exercício usando situações em que sinta o disparo de algumas emoções negativas de baixo impacto emocional, como pequenos aborrecimentos, frustrações, tédio, melancolia. A idéia é que você fique exposto à experiência de tolerar as suas emoções negativas sem drama. É importante que observe aquilo que sente do ponto de vista exterior, tentando entender a essência do seu mal estar, incómodo ou insatisfação. Em seguida tente perceber se aquilo que sente está ligado aos seus comportamentos ou a alguma situação pela qual está a passar, e que os seus sentimentos são seus aliados. Não se sinta mal acerca dos seus “maus” sentimentos. Retire a informação útil que as suas emoções negativas possam estar a transmitir-lhe, regule o seu estado, e oriente os seus comportamentos, atitudes e pensamentos pelos seus valores, alinhados-os com os seus objetivos. Leve em consideração que o objetivo de regular o seu estado para um nível ótimo é duplo, vir a sentir-se melhor e a resolver o problema que enfrenta.

[ads]

PASSAR DO EXERCÍCIO À PRÁTICA NO DIA A DIA

Depois do exercício pretende-se que seja capaz de entender que você não é os seus sentimentos. Você é aquele onde os sentimentos se fazem sentir, e que estes manifestam-se com a intenção de transmitir-lhe informação que possa usar para regular o seu estado interno no sentido de melhorar a situação que possa estar a enfrentar, e certamente não gosta. É importante transmitir a você mesmo que pode e consegue suportar algum do incómodo provocado pelas suas emoções negativas, mas que esse incómodo é temporário. Em seguida, deve acrescentar a ideia de que as coisas irão recompor-se porque sabe como regular o seu estado interno, e que pode colocar em marcha um conjunto de ações que o conduzem para uma solução que no seu retorno lhe irá gerar um reforço positivo: melhores sentimentos.

Para mais informações acerca da razão porque as emoções negativas também pode ser boas e vantajosas para a vida de cada um de nós, leia: Porque os sentimentos negativos podem ser surpreendentemente bons para você?

Abraço

Novo usuário?
Comece aqui
Receba Grátis os Vídeos “Fórmula da Positividade”
Receba Grátis os Vídeos “Fórmula da Positividade”

Dê a si mesmo a oportunidade de florescer e ser bem sucedido!

Comentários
Avatar for Miguel Lucas
João Carlos

Excelente. Muitas vezes, quase sempre, minhas emoções negativas me bloqueiam, travam meu caminhar; medos, pensamentos negativos são como a água descendo ribeira a baixo. Estou sempre em busca da caverna "segura" o que fazer?

Avatar for Miguel Lucas
Miguel Lucas

Olá João Carlos, obrigado pelo comentário.

Tal como referi no artigo, as emoções negativas em si não propriamente o problema. O que nos provoca mal estar e insatisfação é também a própria interpretação que fazemos dos nossos próprios estados internos. Desta forma, tal como indiquei no artigo, é necessário expor-se aos seus sentimentos sem que os avalie como catastróficos. Em seguida, o que é importante fazer, é agir e realizar coisas que possam no retorno fazer disparar boas sensações e resultados desejados. No final o que mais importa é aquilo que se decide a fazer para recuperar o seu bem-estar.

Sorte e convicção.

Abraço

Avatar for Miguel Lucas
João Carlos

Olá Miguel Lucas, obrigado pelo retorno.
Ação com convicção.

Abraço. o/

Avatar for Miguel Lucas
eduardo torres

Ótimo artigo Miguel. Parece que nossa sociedade nos educa a só atentar para a razão e não para a emoção. Acabamos por mentir e negar o que estamos sentindo. Eu não sabia que os sentimentos negativos eram estimulos para "me cuidar mais". Quando aceitei e deixei de brigar, fez toda a diferença. Compreendo que a vida é bela por ser essa eterna vivencia de diferentes sentimentos e não somente felicidade. Pergunta: como faço para saber se eu aceitei e perdoei os fatos do meu passado? Não dá para lembrar d tudo o que foi vivido. Abraços

Avatar for Miguel Lucas
Miguel Lucas

Olá Eduardo, obrigado pelo comentário

Agradeço o seu testemunho. Respondendo à sua questão:

É você mesmo que tem de responder a essa mesma pergunta. A resposta dessa pergunta é a sua solução. Se aceitou, está resolvido. Se não aceitou, tente perceber o que necessita resolver em si mesmo para aceitar e seguir em frente. Dica: Foque-se mais naquilo que pretende atingir do que naquilo que não alcançou.

Abraço

Avatar for Miguel Lucas
WTF

Bostei do artigo. Os sentimentos positivos e negativos podem ser favoráveis ou desfavoráveis a nossa sobrevivência e satisfação. Penso que a questão está na interpretação dos mesmos. Algumas pessoas buscam interpretar tudo ao seu favor, em busca de oportunidades para viver melhor. Outras buscam direcionar tudo para seu próprio sofrimento. Boas escolhas!

Avatar for Miguel Lucas
Miguel Lucas

Olá WTF, obrigado pelo comentário.

Agradeço o seu complemento e testemunho.

Abraço

Avatar for Miguel Lucas
ALAN COLARES

Muito bom este artigo! Me fez refletir e perceber que há uma outra maneira de entender o sentimento que é proporcionado pelo stress, através de uma visão positiva do que antes era entendido como ruim. Gostei!

Avatar for Miguel Lucas
Alex Oliveira

Tenho uma pergunta , gostaria de saber sua opinião. Segundo o livro – A Arte da Felicidade – Dalai Lama e Howard C. Cutler – o Psiquiatra americano, propõe que, as emoções negativas e os pensamentos aflitivos, são totalmente sem justificativa, e sem fundamento válido.
Em sua visão Miguel Lucas, existi, algum pensamento aflitivo – justificado , válido e fundamentado ?

Agradeço a disposição , e de responder ,e de servir de alivio através de suas palavras. Obrigado

Avatar for Miguel Lucas
Miguel Lucas

Olá Alex, obrigado pelo comentário

Não li esse livro, não posso confirmar se realmente o autor afirma essa ideia de que os pensamentos negativos são sem justificativa.

Do ponto de vista evolutivo as emoções negativas são-nos úteis, consequentemente fazem disparar pensamentos negativos. Emoções e pensamentos negativos em determinada medida podem e são úteis no sentido de nos alertar para situação desagradáveis ou que podem vir a ser catastróficas. No entanto se essas emoções e pensamentos negativos forem recorrentes e ruminativas certamente perdem o ser valor adaptativo e evolutivo prejudicando-nos.

Abraço

Avatar for Miguel Lucas
Erika

Excelente artigo.
Acompanho este site há alguns meses, e, após ler esta publicação, senti-me na obrigação de agradecer pelos seus ensinamentos, Miguel Lucas.
Por conta de alguns traumas recentes, tenho sentido, há algum tempo, dificuldades em aceitar minhas emoções e, inclusive, a minha própria personalidade. Felizmente, foi-me dada a oportunidade de ter acompanhamento psicológico com uma excelente profissional e, graças a isso, estou desenvolvendo perspectivas mais otimistas em relação ao futuro. Acerca do assunto desta matéria, testemunhei e testemunho as consequências psicologicamente desgastantes que o hábito de "ocultar" as emoções negativas provoca. Aceitar o sentimento de angústia/tristeza, ainda que seja difícil, é um passo à frente na busca pela felicidade e, ao contrário do que geralmente se pensa, é um ato positivo que se pode tomar.
Novamente, muito obrigada pelas excelentes postagens.
Abraços de uma leitora brasileira.

Avatar for Miguel Lucas
luzinete guimaraes

Agradeço amigo Dr. pelas palavras de incentivo.Na verdade as emoções negativas costumam ser uma constante em nossas vidas e é dificil realmente lidar com isso.Entendi pela sua explanação que devemos nos tornar na verdade, não resistentes a elas,assim passo a passo iremos vencendo as intempérieis. Será que cheguei perto? o

Avatar for Miguel Lucas
Ricardo RJ

Muito bom teu artigo Miguel!é uma abordagem realista e bastante prática de nossas emoções negativas.Vamos então aprender com elas!

Avatar for Miguel Lucas
geralda

Primeiro quero agradecer pelas mensagens e matérias enviadas a mim.
Estou em uma fase muito ruim, tanto profissional quanto pessoal, precisando de incentivo para viver o lado bom da vida, sei que ver as emoções negativas será um bom começo. Nunca tive acompanhamento com psicólogos, mas estou tomando medicações para depressão e alto nivel de stress laboral, além do remédio para dormir. Por favor mim ajude esses remédio estão mim deixando confusa e com dores, ex. refluxo , esofagite, vê se pode até uma bactéria foi tratado em meu estômago a H Pylori. Será que devo procurar um psicólogo ou continuo com a medicação receitada pelo psiquiatra?

Avatar for Miguel Lucas
carlos rodriges ramos

foi muito bom para mim,pois, estou passando por momento de perda e ainda por cima a pessoa que mim apaixonei, terminou comigo mim humilhando e mim estorquindo dinheiro, e eu tenho uma paixão muito grande por ela. Imagina o sofrimento em que mim encontro, e foi lendo este artigo que vou tentar segurar este sentimeto negativo. E aceitár como disse é fundamental.

Avatar for Miguel Lucas
Renanbol

O que tem de positivo em ter experiências negativas na vida? No meu caso, elas só servem p/ me fazer um ser humando pior do que já sou.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *