8 Dicas psicológicas para melhorar a performance desportiva - Miguel Lucas
Psicologia do Desporto 22/09/2016

8 Dicas psicológicas para melhorar a performance desportiva

Miguel Lucas Publicado por Miguel Lucas

Muitos são os atletas que ficam aquém do seu melhor desempenho em competição. Entre as causas, usualmente está a incapacidade psicológica de gerir adequadamente as sensações físicas incómodas, pensamentos negativos, pensamentos de dúvida, medo do adversário, falta de confiança, medo de falhar, entre outros. Quando é necessário que o atleta tenha um desempenho ótimo, ou necessite de aplicar-se ao máximo em competição, tudo se resume a quão bem consegue mentalmente potenciar o seu desempenho.

O treino mental não é diferente do treino físico. Leva tempo, compromisso e disciplina. Muitos atletas dedicam uma elevada quantidade de horas ao treino físico (e muito bem), sem nunca prestar atenção à prática mental. Todo o medo, frustração, inconsistência, stress, desânimo, ansiedade e raiva vêm do pensamento fora de controle. O pensamento fora de controle pode comprometer negativamente o desempenho.

A prática mental não é para casos de transtornos mentais, ou porque se é “fraco psicologicamente”. É para qualquer atleta que esteja suficientemente comprometido em conseguir obter o melhor desempenho possível.

A reter: Importa disciplinar a mente enquanto se disciplina o corpo.

Em seguida, apresento 8 dicas psicológicas que podem ajudar a melhorar a tua performance e ultrapassares alguns obstáculos mentais: 

1- A confiança não é algo que nos acontece, é algo que decidimos investir

Para melhorares a tua confiança toma consciência de quem és e anota. Por exemplo, se o teu desporto for natação, podes ser levado a pensar que és um nadador, mas na verdade tu és uma pessoa que nada.

Quando tens sucesso no desporto, é comum sentir que o desempenho do teu desporto define quem tu és. Eu não acredito que isso seja verdade. Tu não és definido pelo sucesso ou fracasso.

Ganhar não faz de ti uma pessoa melhor e perder certamente não faz de ti menos pessoa. Quem tu és é definido pelo que valorizas, pelo que defendes e pelo modo como reages, quer estejas desfrutando do sucesso ou resistindo ao fracasso. Esclarecer quem tu és como pessoa e como atleta reforça a tua capacidade de ficar seguro de ti quando a pressão no teu desporto se fizer sentir.

Experimenta o seguinte: dedica alguns minutos para articular o que te faz ser quem tu és como pessoa. Lista as coisas que valorizas, escreve o que tu representas para ti mesmo e para os outros significativos e mantém essa lista à mão para que possas alterá-la e consultá-la periodicamente.

2- Encara o espaço competitivo como o lugar onde irás brilhar

Não olhes o lugar da competição como um ambiente hostil, mas sim como o lugar onde irás brilhar. Alguns atletas após sofrerem várias derrotas ou ficarem aquém da performance desejada em competição, começam a ter reações negativas ao ambiente competitivo, sentido nervosismo extremo que leva a perda de energia, dúvidas, inibição motora e sobretudo medo de falhar novamente.

Associar a competição a um lugar onde coisas más podem acontecer é o ingrediente da autossabotagem. Não te deixes limitar pelo passado.

Acredita no teu treino e encara o local competitivo como o espaço onde coisas boas vão acontecer. É para isso que te dedicas e que te esforças diariamente, então pensa na competição como o local onde irás materializar o teu sonho. Na verdade, será o local onde irás brilhar.

3- O corpo segue aquilo em que a mente se focaliza

O corpo está à escuta da mente. Este é um ensinamento que transmito as atletas com quem trabalho na preparação mental. Se te focares nos aspetos mentais, o corpo transforma-se no servo da mente. Por isso, cuidado com o que pensas e dizes a ti mesmo!

Escolhe bem a forma como te queres sentir e usa o discurso interno que possa fazer emergir o sentimento que desejas.

A reter: Pensa da forma como te queres sentir, e o sentimento irá surgir.

4- Quando começas a perder o controle, foca-te numa boa respiração

O poder de uma simples respiração é inegável. Quando sentes profundamente a tua respiração abraças a tua presença. Mentalmente estás onde te encontras. Apenas com uma respiração podes mudar o momento.

Da próxima vez que as coisas estiverem a ficar fora de controle – Pára – faz uma respiração pelo nariz e tenta sentir o ar frio a entrar nos teus pulmões. Deixa o teu peito, ombros e queixo elevarem-se. Quando tiveres pronto, expira.

À medida que expiras sente a tensão e ansiedade a abandonarem o teu corpo. Depois foca a tua mente naquilo que irá maximizar o teu potencial. Uma respiração consciente pode mudar o momento menos bom que enfrentas.

5- Não deixes que o medo se transforme no teu maior obstáculo

Mesmo com pensamentos negativos e dúvidas, ainda nada aconteceu no mundo real, por isso ainda podes realizar uma boa performance.

O truque é manter a calma na presença da negatividade, não ficares preocupado ou zangado (não deves tomar uma atitude de combatividade da negatividade, mas aceitá-la) e imediatamente reorientares o teu foco para os processos que te façam ser eficaz na tua prática desportiva.

6- Ficar zangado não tem problema, ficar zangado é o problema

Já ficaste zangado ou chateado ao jogar ou competir no teu desporto? Para a maioria dos atletas isso é comum. O erro mental aqui não é ficar com raiva, isso é algo que acontece normalmente e não é realmente o problema maior. Podes ficar zangado ou com raiva quantas vezes surgir essa emoção, sem necessariamente ser prejudicial para a tua performance. Como?

O erro mental que vai arrastar negativamente o teu desempenho não é ficares zangado, mas manteres-te nesse estado. Ser mentalmente tenaz não consiste em evitar a raiva e a zanga, mas sim, não te deixares dominar emocionalmente quando isso acontece.

Na maior parte do tempo, lidamos com a raiva e/ou zanga de três maneiras:

1) Gritar, quebrar algo, chutar, executar movimentos bruscos, na esperança de que isso possa melhorar a situação. MAS NÃO VAI. Isso apenas irá adicionar mais combustível ao fogo.

2) Tentar conter e suprimir. Isso também não funciona. Isso irá fazer a “raiva ficar pressurizada” dentro de ti, o que só te irá deixar mais nervoso.

3) Manter o foco no que importa enquanto estás com raiva. Dos três, esta pode ser a melhor estratégia, mas ainda assim é uma estratégia reparadora. Não soluciona o problema a longo prazo, o que pode levar-te a repetidamente continuares a ter surtos de zanga e raiva prejudicando a performance.

7- A preocupação não te faz mais capaz, ela é um desperdício da imaginação

Toda a energia que gastas nos caminhos da preocupação é desperdiçada. Foi 100% desperdiçada! Não teve QUALQUER efeito positivo sobre os acontecimentos, mas certamente teve um grande efeito negativo sobre ti!

Preocupares-te com o teu desempenho pode ter um tremendo efeito negativo naquilo que esperas desesperadamente ser bom – O TEU DESEMPENHO.

Quando se trata do teu desempenho, quais são as coisas que te preocupam de forma excessiva? Reconheces algum desses pensamentos?

  • Irei cumprir as expectativas dos outros?
  • Irei sair-me tão bem quanto nos treinos?
  • Irei conseguir impressionar as pessoas certas?
  • Vou envergonhar-me?
  • Vou fazer asneira?
  • Vou falhar outra vez?
  • Será que sou bom o suficiente?

Uma coisa importante a lembrar sobre essas preocupações é que algumas, talvez a maioria, estão totalmente fora do teu controle.

Muitos atletas ficam aquém da sua performance porque passam muito tempo a preocupar-nos com a maneira como irão ser percebidos ou se irão vencer uma determinada competição, ou se irão agradar a essa ou àquela pessoa.

Importa parar com isso! Esse tipo de preocupação desperdiça o teu tempo e energia.

8- Pessoas, locais e situações não te colocam sob tensão e pressão, és tu que fazes isso a ti mesmo

A maior causa de catástrofe desportiva, stress e baixo desempenho em atletas que são qualificados e capazes de executar as habilidades do seu desporto é focar-se nas variáveis incontroláveis, coisas que realmente não têm controle, mas que acabam por consumir energia e prejudicar a performance.

A importância do evento, o tamanho da multidão, o nível de preparo das habilidades, a força, o recinto competitivo, os juízes, a ordem dos eventos, a aparência da competição, o clima, são exemplos de variáveis que estão fora do controle direto do atleta.

Os atletas mentalmente resistentes concentram-se na única coisa que podem SEMPRE controlar, SEMPRE. Tu estás no controlo total de como ESCOLHES REAGIR perante todos os acontecimentos incontroláveis que acontecem ao teu redor.

Se tens vindo a ficar aquém em competição devido ao excesso de preocupação, quero dizer-te que tenho ajudado dezenas de atletas a superar esse problema e a voltar aos bons resultados. Clica no link em baixo e fica a conhecer como te posso ajudar: 

=>>Sessões de psicologia desportiva<<=

Abraço,

Miguel Lucas

Novo usuário?
Comece aqui
Receba Grátis os Vídeos “Fórmula da Positividade”
Receba Grátis os Vídeos “Fórmula da Positividade”

Dê a si mesmo a oportunidade de florescer e ser bem sucedido!

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *