7 Maneiras de lidar com a ansiedade social
Terapias Psicológicas 22/09/2016

7 Maneiras de lidar com a ansiedade social

Miguel Lucas Publicado por Miguel Lucas


A ansiedade social é um transtorno psicológico que coloca em causa a funcionalidade de vida da pessoa. Por natureza somos seres sociais, necessitamos de pertencer a grupos, interagir, comunicarmo-nos, partilhar experiências e ideias. A ansiedade social coloca em causa toda a capacidade de expressão da pessoa, inibe a sua movimentação, aumenta-lhe a dúvida sobre as suas capacidades, retira-lhe coragem. Lidar com a ansiedade social pode ser desesperante, e para algumas pessoas, é um caminho direto para a depressão. Num estudo, o investigador Dr. Murray Stein e seus colegas descobriram que 35% dos indivíduos com transtorno de ansiedade social tinham experimentado pelo menos um episódio depressivo maior.

Os sintomas podem incluir mau humor, diminuição do interesse ou prazer nas atividades diárias, sono e problemas de apetite, fadiga, diminuição da concentração e sentimentos de inutilidade. A ansiedade social torna grande parte das interações com as outras pessoas um tortura. Viver num estado constante de medo e preocupação acerca do seu comportamento em situações sociais é extremamente frustrante, podendo acrescer o fato da pessoa ficar deprimida e aumentarem os sentimentos de desesperança com a vida e com a sua situação ansiosa.

Em seguida apresento alguns comportamentos que contribuem para o desenvolvimento da ansiedade social e o que pode ser feito para diminui-los ou extingui-los:

1. POUCO CONTATO COM PESSOAS

Todos nós necessitamos de uma certa quantidade de interação social para nos sentirmos felizes e contentes (mesmo os introvertidos). Se você não tiver contato suficiente com pessoas, é natural que se sinta triste, solitário e até mesmo deprimido. Mesmo que você fique ansioso junto de determinadas pessoas, tente perceber o que está na causa desse receio. Não faça uma associação direta com as pessoas, mas tente perceber qual o motivo. Tem receio de não ter assunto? Acha que não tem nada de interessante para conversar? Fica com rubor na cara? Julga que as pessoas vão perceber a sua agitação e nervosismo? Esses receios até podem ser justificativos, mas na verdade, nada têm a ver com receio das pessoas. Tem sim a ver com a ausência de uma determinada habilidade, ou a presença de uma crença negativa acerca de si mesmo, ou incapacidade de regular os sintomas físicos da ansiedade, como por exemplo a sudação ou o batimento cardíaco acelerado.

É importante que invista no desenvolvimento de estratégias para melhorar os seus incómodos e aquilo que não consegue controlar, mas não deixar de interagir com as pessoas.

2. EVITAMENTO

Se você evitar uma grande variedade de situações sociais, a sua vida torna-se cada vez mais restritiva, podendo contribuir para o desenvolvimento de outros problemas pessoais ou emocionais. O comportamento de evitamento, numa primeira fase pode resolver-lhe o seu problema relacionado com os sintomas incómodos da ansiedade, mas complica a sua vida pessoal porque você deixa de realizar determinadas tarefas fundamentais. Não fuja daquilo que tem de realizar, esforce-se por aprender a lidar com os seus incómodos. Certifique-se que inclui algumas coisas divertidas na sua vida que não provoquem ansiedade. Como por exemplo, desenhar, ler, ouvir música, passear, ir à praia.

Para aprofundar o assunto, leia: 6 Estratégias para superar o medo irracional

ansiedade social

3. AUTOCULPABILIZAÇÃO E AUTOCRÍTICA NEGATIVA

Talvez você se culpe pelo seu problema de ansiedade social. Nada poderia ser mais prejudicial. É importante lembrar que ninguém escolhe ter transtorno de ansiedade social. Esta é uma condição que merece atenção e tratamento cuidadoso. Punir a si mesmo é uma estratégia inútil, que o mantém preso no seu problema. Em vez disso, opte pela autoaceitação e autocompaixão. Eventualmente numa primeira fase talvez você se tenha esforçado por resolver o seu problema e, não foi bem sucedido. Numa fase posterior pode ter-se voltado contra você mesmo e começar a denegrir-se ou a tecer comentários autodepreciativos. Certamente essa autocrítica negativa só tende a aumentar o seu problema. Se é o seu caso, deixe de ser ruim para si mesmo. Pare com esse comportamento destrutivo. Contrarie essa tendência e passe a ser o seu principal aliado.

Para aprofundar o assunto, leia:


4. INATIVIDADE 

A pouca interação social pode conduzi-lo a um ciclo vicioso de humor diminuído, contribuindo para o desenvolvimento da depressão, que por sua vez se reflete na diminuição do prazer nas atividades que anteriormente gostava. Quanto menos ativo você for, mais estará a contribuir para o aparecimento da depressão. Se você está tendo dificuldade em sair deste ciclo, proponha-se a uma programação diária que contemple um determinado período de atividade que envolva sair à rua e contatar com pessoas, em seguida, cumpra isso. Vai parecer muito difícil no início, mas é extremamente útil. Programe alguns passeios ao redor do seu bairro ou em algum parque nas proximidades. O exercício físico é um excelente antídoto para a depressão.

Para aprofundar o assunto, leia: Depressão, benefícios do exercício físico

5. MINIMIZAÇÃO

Certifique-se de que você está dando a si mesmo o crédito para as suas realizações, por menores que possam parecer. A maneira eficaz de mudar o comportamento é através do processo de passo a passo. Se você tem dificuldade em reconhecer tudo o que fez, faça uma lista das suas realizações / progresso. Consulte a lista sempre que você começar a concentrar-se exclusivamente nas suas falhas ou naquilo que não consegue fazer. É importante que ganhe consciência se desenvolveu um filtro opaco para os seus bons desempenhos. Não minimize os seus esforços, tarefas bem concretizadas ou mesmo os pequenos sucessos.

6. FATORES SUBJACENTES COMUNS

É possível que a ansiedade social e a depressão compartilhem alguns fatores subjacentes comuns. Você pode estar vulnerável a ambos os tipos de problemas, pela mesma razão, quer seja por aprendizagens ineficazes de lidar com situações frustrantes e stressantes, ou por fatores ambientais que influenciam o desenvolvimento de ambos os transtornos. Será benéfico verificar se apresenta algumas distorções do pensamento que possam estar a dificultar a sua melhoria. Para facilitar esse processo, leia: Distorções do pensamento, saiba porque causam problemas e como as mudar.

7. DESESPERANÇA

Pode ecoar na sua cabeça a seguinte crença negativa: “Eu sei que nunca vou ficar melhor.” Este pensamento frequentemente aparece na mente das pessoas que enfrentam problemas de ansiedade e depressão. Mas isso não passa de uma crença irrealista. Claro que a melhoria é possível. Claro que existem formas, técnicas e terapias altamente eficazes que contribuem para a resolução dos transtornos psicológicos. Existem muitas histórias de pessoas que obtiveram sucesso (há algumas aqui no blog) e que recuperam a esperança. E acredite, com a sua dedicação e querer certamente encontrará o caminho da melhoria.

Para aprofundar o assunto, leia: Existe esperança depois da derrocada e fracasso, espalhe a palavra

Abraço,

Miguel Lucas

Novo usuário?
Comece aqui
Receba Grátis os Vídeos “Fórmula da Positividade”
Receba Grátis os Vídeos “Fórmula da Positividade”

Dê a si mesmo a oportunidade de florescer e ser bem sucedido!

Comentários
Avatar for Miguel Lucas
Vitor Weinert

Sou do Brasil, São Paulo, tenho 23 anos e quero muito agradecer por ter postado esses artigos, porque eu sem dúvida já estou melhorando, consigo perceber isso nas horas que converso estou mais confiante, com menos sentimento de culpa e medo.
Tive muitos traumas na minha vida que estou superando, a palavra trauma para mim antes parecia até frescura, mas relembrei muitos momentos com meus pais e amigos e percebi como eu poderia ter entendido as coisas de uma maneira diferente, não posso negar que tive um passado não tão feliz como eu gostaria , mas hoje para mim isso é aprendizado.
A maioria dos meus traumas vem dos meus pais e principalmente meu pai, porque ele é muito ranzinza, impaciente, nervoso e estas coisas fizeram com que eu e minha irmã nos tornássemos o mesmo tipo de pessoa que meu pai, ela tem 26 anos e também reconhece isso, eu sempre comento esses posts com ela para ajudá-la também, ela já era mais madura que eu em relação ao tratamento que lhe foi dado, mas nós gostamos de falar sobre e nos ajudar. Hoje mesmo aconteceu um fato que eu acho que se eu fosse criança eu poderia entender de maneira errada, quando eu estava comentando um fato com eu pai e ele sem motivo nenhum ficou resmungando como se eu estivesse enchendo o saco dele, na verdade eu tenho agora até dó dele, porque ele não sabe o mal que ele faz para si e para os outros.
Comecei a ler esses posts há mais de um mês e não quero parar mais!
Abraço para todos!!!!

Avatar for Miguel Lucas
Miguel Lucas

Olá Vitor, obrigado pelo comentário.

Agradeço imenso o seu testemunho e palavras de reconhecimento acerca do valor do conteúdo do artigo.

Fico contente que a aplicação da informação dos artigos tenham vindo a contribuir para o seu esclarecimento e consequente melhoria.

Força e coragem.

Abraço

Avatar for Miguel Lucas
Cristiane Prestes

Sou cristã e agradeço a Deus por existir esse site, me ajuda muito. A psiclogia é a ciência da cura da alma ! Parabéns pelo seu trabalho Deus o abençoe.
Minha mãe é uma pessoa totalmente estressada, reclama de tudo, sempre me chama gritando, na minha casa nunca houve dialogo. Quero as caracteristicas boas dela e não as ruins. A amo mas ela me estressa as vezes. Abraço Deus os abençoe.

Avatar for Miguel Lucas
Miguel Lucas

Olá Criatiane, obrigado pelo comentário.

Obrigado pelas suas palavras de apreço pelo trabalho da escola psicologia. Fico esperançado que consiga libertar-se dos condicionalismos negativos transmitidos pela sua mãe e que consiga igualmente ficar com as coisas boas da sua educação.

Força e convicção.

Abraço

Avatar for Miguel Lucas
carla

Quero agradecer por compartilhar seus ensinamentos, trazendo à luz outras possibilidades de superação interior.
Deus o abençoe.

Avatar for Miguel Lucas
Wellington Viveiro

Texto excelente e inspirador, sucesso para você !

Avatar for Miguel Lucas
Miriam Silva

Agradeço aos esclarecimentos,algumas vezes essas descobertas nos fazem muito bem. E acima de tudo me deu uma ideia de como tratar de minha família quando surgir um problema desta natureza.

Avatar for Miguel Lucas
Paulo Martins

Excelente artigo.
Sucesso, Miguel.

Avatar for Miguel Lucas
Jefferson

Excelente material! Todos estes assuntos abordados nos trazem um enorme esclarecimento a respeito do que sentimos. Nos ajuda a compreender que eles têm razões e motivos para existirem… Nos tira um pouco do sentimento de culpa, de acharmos que somos ETs… Nos dá um norte de esperança para conseguirmos melhorar nossa vida, nossos comportamentos que tanto nos entristecem… MUITO OBRIGADO PELO QUE VC ESTÁ FAZENDO, COM CERTEZA ESTÁ AJUDANDO MUITAS PESSOAS, SALVEI O LINK DO SITE EM MEU E-MAIL E NÃO CANSO DE LER!

Avatar for Miguel Lucas
Lau

Tenho muita dificuldade de me relacionar, acredito que sempre tive…me lembro de quando criança, ver as outras crianças brincando, e não ter coragem de ir interagir com elas.
Apesar de este problema sempre ter sido presente na minha vida, acredito que de um tempo para cá aumentou. Vivo uma rotina muito corrida, tenho muitas responsabilidades e acabo exigindo demais de mim, no meio de toda esta confusão nem sempre encontro tempo para a diversão na minha vida. Tenho poucos amigos, e devido a toda esta rotina de stress me sinto cada vez mais distantes deles…mas ao invés de tentar mudar a situação e apenas me afasto mais…
Ler este texto hoje, me fez pensar em vários dos meus comportamento, e me deu um caminho para eu mudar…quero ser feliz um dia!!!

Avatar for Miguel Lucas
deisa

Tenho 16 anos, mas ja tenho consciencia de que sofro de Ansiedade, tem epocas que consigo ficar bem e controlar ansiedade, mas as vezes tenho recaidas. Seus textos me ajudaram a entender mais sobre isso e como superar. Obrigado 🙂
Espero conseguir me curar logo

Avatar for Miguel Lucas
Oliver

Sou Oliver,tenho 15 anos. Meu caso acho que ja se agravou muito. Não faço tratamento com nenhum psicólogo, e a muito tempo não saio de casa.Não tenho amigos e não tenho ninguém com quem sair pra algum lugar, até porque se tivesse eu não iria. Então essa fobia social ta me atrapalhando muito.Tenho vontade de sair para um cinema mas não saio com medo das pessoas e de supostos julgamentos que passam na minha mente antes mesmo de eu sair.Minha ansiedade não sei se posso colocar assim mas já esta "atacando". Fico muito péssimo comigo mesmo e esta sendo muito difícil conviver comigo mesmo o tempo todo.

Avatar for Miguel Lucas
santos

Eu tenho um vicio muito mau vou com o meu companheiro mas tenho que olhar tudo a minha volta não faz mais que fazer para não ser assim

Avatar for Miguel Lucas
Filipa

Boa Tarde,
preciso de uma ajudinha a nível psicologista, penso que o meu namorado sofre deste distúrbio (ansiedade social), ele é um pequeno grande génio, mas td que faz não é suficientemente bom para ele, tem problemas em sair de casa, ou ate mesmo de ir ao supermercado sozinho, no outro dia comentou comigo, que sempre que entra no escritório onde trabalha todos os dias à mais de um ano continua a sentir-se desconfortável e sem saber lidar com a situação.
Diz que não sabe o que fazer c/ as mãos, ou como se sentar ou ate mesmo o que dizer qd se encontra numa situação de conhecimento de novas pessoas :/ eu acho que isto pode ser grave, e o que quero saber é se devo insistir para ele consultar um Psicológico visto que ele próprio já admitiu que tem um problema !!??

Avatar for Miguel Lucas
thais

Tudo começou quando eu tinha 14 anos… essa doença tem me destruído ate hoje com 22… nem os meus parentes gostam mais de mim, com 18 conheci meu esposo na vdd bem sei pq ele gosta de mim, ele é o único e recentemente ficou desempregado e n esta arrumando mais emprego o único emprego que eu consegui foi para abordagem tentar convencer as pessoas ficar intima e ter vários argumentos chego a sentir febre tentando vender, choro muito sozinha tenho dois filhos pelas nossas condições atuais queria ir bem no meu trabalho mas n consigo me sinto inútil e sozinha lido com o des preso e rejeição todos os dias eu quero falar com as pessoas mas parece q n vem nada de interessante a minha mente para falar na ansiedade de ter assunto falo coisas sem importancia e as pessoas começam a me dar muito gelo e me Machuco muito. Não tenho dinheiro para pscicologo o que eu mais queria era poder contar com a ajuda de alguem, se isso n acabar jamais serei feliz de novo.

Avatar for Miguel Lucas
Anonymous

Olá Miguel, quero te parabenizar pelos seus escritos. Já a algum tempo tenho praticado a auto confiança, mas recaídas são o que me deixam desanimado. Hoje ao ler seus textos, recuperei um pouco da energia positiva que preciso. Tenho 22 anos e já tive muito pior, a ponto de não querer sair de casa e nem encontrar com amigos de infância devido a ansiedade. Do meio do ano de 2015 para cá, decidi tomar uma atitude, e posso dizer que progredi mto. O segredo e ir tentando mudar os padrões de pensamentos, como por exemplo eu achava que quando andava na rua todos ficavam me reparando, mas fui mudando meu pensamento e fui vendo que as pessoas nem se quer importam com quem está passando na rua. Tudo coisa da minha cabeça.
Forte Abraço

Avatar for Miguel Lucas
pedro

muito ogd pelo texto Eu tenho 17 anos de idade o meu caso é muito complicado ja fis de tudo para me superar mas naõ consigo a ansiedade me dificulta para ir as ruas ao super mercado e outros locais social, sinto -me diciculdade de me relacionar e fazer amizades isso esta acabando com a minha alegria de viver e todo momento peso mas nas coisas negativa ja tentei ate me suidar no local onde eu vivo naõ tem cetros medicos especializados para o caso da ansiedade social que querer me ajudar ao dar- me o seu apoio ese é o meu Melhorar pedrosimaodomingospedro@gmail. com

Avatar for Miguel Lucas
gabriel

Muito obrigado pelo artigo amigo,ja estou a anos sofrendo disso e nunca soube o que havia de errado comigo,estou num nivel de ansiedade que não consigo nem mesmo considerar a possibilidade de ir a eventos,encontros sociais.
Marcar uma consulta com psicologo poderá me ajudar? Realmente não sou capaz de lidar com isso sozinho.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *